segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Justiça suspende aumento de salário de vereadores de São Paulo

Conforme publicação do Estadão, em decisão liminar a pedido de uma ação popular, o juiz Alberto Alonso Muñoz, do Tribunal de Justiça de São Paulo, suspendeu os efeitos da Resolução 03-000012/2016 da Mesa Diretora da Câmara Municipal. Ainda cabe recurso.

Na terça-feira, dia 20, os vereadores haviam reajustado seus salários em 26,3%, para R$ 18.991,68, a partir de 2017, quando começa a nova legislatura.

A Câmara ainda não recebeu o comunicado do Tribunal de Justiça e provavelmente será interposto recurso.

Dificilmente a liminar será mantida, mas vale a torcida para que o bom senso supere a arrogância e a falta de respeito pela população e os salários sejam mantidos em R$ 15.031,76.

Novos capítulos virão por ai...

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Vereadores aplicam um verdadeiro GOLPE na população paulistana


Você que não está acostumado acompanhar a política, especificamente na Câmara Municipal de São Paulo, guarde bem esses nomes: Milton Leite (DEM), Adilson Amadeu (PTB) e Eduardo Tuma (PSDB). Eles são os principais responsáveis, não quer dizer que os demais que votaram a favor do PR 12/2016 não sejam responsabilizados também, que articularam e aplicaram um verdadeiro GOLPE no cidadão paulistano.

Em meio uma crise no país, com mais de 12 milhões de desempregados, articularam e aprovaram um Projeto de Resolução da Mesa Diretora, assinada também pelo vereador Adolfo Quintas (PSD), e em tempo recorde aprovaram um aumento de 26,3% em seus próprios salários. O ato não é ilegal, apenas imoral.

Milton Leite (DEM) é favorito para assumir a presidência da Casa na eleição de janeiro, trata-se de um vereador que faz da política uma profissão, sempre articulando pelos bastidores, quase nunca aparece em frente as câmeras, quando aparece está defendendo seus interesses ou de seus cúmplices, sempre trabalhando em prol de seu reduto eleitoral, como eles chamam -prefiro chamar de curral mesmo-. Imagine este senhor no comando de uma Casa que tem um orçamento de meio bilhão de reais por ano.

Adilson Amadeu (PTB), despachante, costuma dizer que é filho de taxista, nascido dentro de um taxi e defende fervorosamente a categoria. Esteve recentemente em Brasília defendendo a classe contra a terrível ameaça do UBER, parece que em nossa cidade não existe mais nada de importante, além dos taxistas.
Envolvido constantemente em polêmicas, também faz da política uma profissão, apesar de dizer que vive de sua profissão como despachante.

Eduardo Tuma (PSDB), reeleito para o segundo mandato, evangélico, seu primeiro mandato foi basicamente em defesa dos interesses das igrejas. Quase transformou a Casa em um templo, dissimulado, está sempre envolvido em discussões de projetos em plenário apenas para tumultuar o ambiente, apesar de ter sido assessor parlamentar na casa parece não conhecer o regimento interno. Todo cuidado é pouco com ele.

Adolfo Quintas (PSD), mais parece uma samambaia na Casa, recolhido a sua insignificância, não merece qualquer consideração.

Este é um breve relato daqueles que aplicaram um golpe na população paulistana, acima na imagem você pode ver como votaram os demais vereadores e tirar suas próprias conclusões, a minha já tirei: Temos na Câmara Municipal os representantes que merecemos, não sabemos escolher e pagamos pelos nossos erros.

Ouça o áudio com o voto favorável do vereador Adilson Amadeu, na tentativa de aprovação do PR 12/2016, na sessão extraordinária de 16/12/2016:

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Dória deixa mais de 160 mil eleitores orfãos na Câmara Municipal

Ao formar seu secretariado, Dória deixou mais de 160 mil eleitores  na mão, votamos -digo votamos porque meu voto foi em um deles- em candidatos a vereadores(as) e elegemos secretários municipais em São Paulo.

Soninha (PPS), assumirá a Secretaria de Desenvolvimento Social.

Gilberto Natalini (PV), assumirá a Secretaria do Verde e Meio Ambiente.

Daniel Annemberg (PSDB), assumirá a nova Secretaria de Inovação e Tecnologia.

Eliseu Gabriel (PSB), voltará a Secretaria de Trabalho e Empreendedorismo.

Patrícia Bezerra (PSDB), ficará com a Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania.

Não existe problema algum em vereadores(as) assumirem cargos no executivo, mas não acho justo com aqueles que os elegeram, promessas são feitas em época de campanha, batem em nossas portas oferecendo-nos a possibilidade de uma boa escolha. Confiamos neles e acabamos elegemos alguém que sequer conhecemos ou temos alguma afinidade, ao assumirem cargos no executivo seus suplentes, ou de suas coligações, assumem em seus lugares.

Na minha humilde opinião, se é para assumir cargo no executivo, não deveriam participar das eleições.
Alguém diria: E se o candidato dele não fosse eleito?
Eu responderia: Dane-se, cargo de vereador é eletivo e não uma profissão.

Muito se fala em renovação na Câmara Municipal e que devemos eleger mais mulheres, dos cinco vereadores(as) que assumirão secretárias, duas são mulheres, um novato e dois reeleitos.

Políticos só pensam no interesse da população na hora de pedir voto, depois de eleitos pensam apenas em seus interesses, ou de seus partidos, esquecem daqueles que os colocaram lá.

Fica a dica e vida que segue!

Patrícia Bezerra (PSDB) assume a Secretária Municipal de Direitos Humanos e Cidadania

Reeleita com 45.285 votos, Patrícia Bezerra, assume a Secretária Municipal de Direitos Humanos e Cidadania da cidade de São Paulo. Em seu lugar assume o suplente Quito Formiga (PSDB).

Vereadora atua em projetos de desenvolvimento social para o Terceiro Setor.

Imagem: Internet


Eliseu Gabriel (PSB) volta a secretaria municipal de Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo

Eliseu Gabriel (PSB), reeleito com 52.355 votos, assumirá a secretaria municipal de Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo da cidade de São Paulo. Sua vaga será preenchida pelo suplente Caio Miranda (PSB).

Eliseu Gabriel já esteve a frente da pasta de dezembro de 2012 a março de 2014, no governo de Fernando Haddad (PT).

Foto: Internet


Natalini será secretário do Verde e do Meio Ambiente

O vereador Gilberto Natalini (PV), reeleito com 28.006 votos, aceitou convite para comandar a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente no governo Doria. Em seu lugar assumirá o atual vereador Abou Anni (PV).

Ex-tucano, Natalini ajuizou, desde 2013, um total de dez ações contra o atual prefeito, Fernando Haddad PT, na Justiça paulista. A última delas conseguiu barrar o novo Código de Obras aprovado na Câmara.




Daniel Annenberg será secretário municipal de Inovação e Tecnologia

Eleito com 36.983 votos, Daniel Annenberg (PSDB), foi um dos primeiros secretários anunciados pelo prefeito João Dória. Será substituído pelo atual vereador Dalton Silvano (DEM).

Parabéns a seus eleitores, votaram em um candidato a vereador e elegeram mais um secretário.

Capa de seu perfil no Facebook


domingo, 18 de dezembro de 2016

Soninha (PPS) aceita convite para Secretária de Assistência Social


A jornalista Soninha Francine, eleita pelo PPS com 40.113 votos, aceitou convite de Dória para assumir a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social da prefeitura em 2017.

Soninha irá assumir o cargo na Câmara Municipal e se licenciar em seguida para seguir na pasta no executivo.

O suplente Rodrigo Gomes (PHS) deverá assumir a vaga da vereadora.

A informação é do Portal G1/São Paulo

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Fiscalizar é um ato de cidadania

Participo do Adote Um Vereador, desde 2008, e estou lançando este espaço com a finalidade de dar início ao projeto de fiscalização para a legislatura 2017/2020 na Câmara Municipal de São Paulo.
Minha experiência neste período mostrou que nossos ilustres representantes não gostam de se sentirem fiscalizados.
A estrutura que abriga o parlamento é mantida as custas de dinheiro público, aquele que você contribui quando paga seus impostos. Os impostos estão embutidos nos preços de todos os produtos ou serviços que utilizamos, desde um cafezinho até o arroz com feijão que consumimos no dia a dia.
 
Por isso é nossa obrigação fiscalizar como ele é gasto por nossos "representantes", deixando bem claro que a Câmara Municipal não gera receitas, apenas despesas.
Você é meu convidado, acompanhe meu trabalho por aqui e saiba o que acontece no dia a dia da Câmara Municipal.

Populares