terça-feira, 21 de março de 2017

A Corregedoria da Câmara ainda não foi composta

Hoje, na Sessão Extraordinária, a vereadora Sâmia Bonfim (PSOL) solicitou pela ordem, para a exibição de um vídeo em que deixa claro a agressão sofrida pela vereadora Isa Penna, sua companheira de partido, na quinta-feira, 16, cujo suspeito é o vereador Camilo Cristófaro (PSB).

Após a fala das vereadoras, pedindo providências ao presidente da Casa no sentido de punir exemplarmente o vereador, o Corregedor da Casa vereador Souza Santos (PRB) acusou o recebimento do referido processo e lembrou que o prazo para análise é de três dias, será designado o relator para o processo. 

Acontece que, ao verificar no Portal da Câmara, constatei que pelo menos no Portal, a corregedoria ainda não está composta, o solitário "Corregedor" é a única figura existente por lá.

Vale lembrar que este é o segundo caso de indisciplina (agressão) que acontece na Casa, em menos de sessenta dias, e sequer existe uma composição de membros para a Corregedoria.

Desde que comecei acompanhar os trabalhos na casa, cerca de 8,5 anos, nunca houve punição alguma aplicada pela Corregedoria de Casa, graças ao corporativismo que reina por lá.


sexta-feira, 17 de março de 2017

Vereadores novatos andam causando na Câmara Municipal

Sou um dos maiores entusiastas pela renovação no Parlamento Municipal, infelizmente parece que a renovação não é a solução, pelo menos neste início de ano legislativo.

No início de fevereiro, houve um entrevero e bate-boca de grandes proporções, quase chegando a vias de fato em plenário entre Fernando Holiday (DEM) e Juliana Cardoso (PT), quando houve a invasão por representantes do MBL a uma reunião partidária na sala da liderança petista e levada ao plenário em plena sessão.

Na sessão de quarta-feira, 15, dia em que houve a manifestação nacional de grupos ligados aos petistas e seus simpatizantes (PCdoB, PSOL, CUT, MTST entre outros) a vereadora Isa Penna, suplente de Toninho Vespoli que está em licença para tratar de assuntos particulares, apelou em seu discurso esquerdista em plenário, ofendendo seus colegas de parlamento, provocando um bate-boca forte com acusações de ambos os lados com o vereador Adilson Amadeu (PTB). Houve até a intervenção do "Corregedor", vereador Souza Santos (PRB) pedindo calma aos companheiros.

Ao criticar as reformas do governo Michel Temmer (PMDB) disse ser "lamentável a postura dos vereadores" durante os discursos. Além disso, afirmou que "a política no Brasil infelizmente, nos parlamentos, se transformou em uma mercadoria em que nada realmente é debatido, mas sim negociado, e que se chega apenas para a aprovação".

Ouça o áudio:



Ao fazer uso da tribuna, na sequência, vereador Adilson Amadeu (PTB) rebateu a fala da vereadora que já estava de saída do plenário, voltou e ouviu a fala do vereador sorridente.

Ouça o áudio:



Hoje, a Folha de S.Paulo  trouxe uma matéria em que a mesma vereadora, Isa Penna, acusa o também novato Camilo Cristófaro (PSB) de xingamentos e tentativa de agressão no elevador da Câmara Municipal na quinta-feira, 16, por volta das 19:30 horas.

Segundo Isa, ele a xingou de "vagabunda", "terrorista", "cocô de galinha" e insinuou ameaças dizendo que ela não deveria ficar surpresa se "tomar uns tapas na rua". Uma testemunha no elevador, a ascensorista, prestou depoimento confirmando o xingamento. 

"Não teve confusão nenhuma. Quem falou, mentiu", disse Cristófaro à Folha. Questionado sobre o relato fornecido à reportagem de que a discussão teria ocorrido no elevador, ele afirmou: "Quem te falou foi ela [a vereadora]. Você vem com essa conversa de PSOL. Não vem com conversa para cima de mim, a Folha não me pega. Põe o que vocês quiserem aí", respondeu, desligando em seguida. Os dois parágrafos anteriores foram extraídos da Folha de S.Paulo.

Se você se interessou e quer assistir, o vídeo referente a sessão ordinária de 15/03/2017, está a disposição na galeria da Câmara Municipal. Clique aqui e coloque a data de 15/03/2017 e clique em Plenário - Sessões Ordinárias. 

Encerramos mais uma semana de pouco trabalho e muita polêmica na Casa do Povo, tenham todos um ótimo final de semana!

quarta-feira, 15 de março de 2017

Nepotismo cruzado agora virou parceria entre o vereador Claudinho de Souza e o Deputado Telhada do PSDB


O Jornal Metro, do Grupo Bandeirantes, me "surpreendeu" hoje com a notícia de nepotismo cruzado no gabinete do vereador Cláudio Roberto Barbosa de Souza, mais conhecido como CLAUDINHO DE SOUZA do PSDB, em parceria com o "ético e correto" deputado Telhada, também do mesmo partido. Quando digo que me surpreendeu, é porque andei investigando outra suspeita de nepotismo cruzado no gabinete de outro vereador que não vou citar nome porque não foi confirmado.

O jornal erra ao noticiar que o salário do suspeito é de quase R$ 10 mil por mês, quando na realidade é de R$ 13.021,52 a remuneração bruta. Isso multiplicado por 21 meses chegamos ao total de mais de R$ 273.000,00, considerando a remuneração bruta no período informado de 1 ano(s), 9 mês(es) e 6 dia(s), pela própria Câmara Municipal em seu detalhamento de remuneração conforme imagem acima.

Leia o trecho do texto extraído da publicação do Jornal Metro:
Vitor Lucas Freitas Rosa, na verdade, faz parte de um esquema conhecido como “nepotismo cruzado”. Nesse caso, envolvendo justamente o deputado estadual Coronel Telhada e o vereador Claudinho. 
Como Vitor é filho do chefe de gabinete do deputado Telhada e não pode ser contratado pela Assembléia Legislativa, a saída foi nomeá-lo na Câmara Municipal. O vereador Claudinho, por sua vez, teve o irmão de um dos funcionários dele contratado pelo deputado. 
Ouvido pela reportagem da Rádio Bandeirantes, Coronel Telhada chamou a manobra de “parceria”. 
Segundo o Supremo, nepotismo cruzado é crime. Os envolvidos estão sujeitos à multa e a perda do cargo e dos direitos políticos pelo prazo de três a cinco anos.

E agora vereador Claudinho de Souza, explique-se!

Populares